Direito Global
blog

Controle total

O Poder Judiciário de Santa Catarina (PJSC) possui hoje o controle de 233.386 ativos permanentes, que estão espalhados pelas 111 comarcas e prédios do Tribunal de Justiça. Esses bens móveis e imóveis são gerenciados pela Divisão de Patrimônio, da Diretoria de Material e Patrimônio (DMP), que os administra durante toda sua vida útil.

Por conta da gestão de excelência, os servidores do Tribunal de Justiça do Mato Grosso (TJMT) estiveram em Florianópolis, no dia 19 de maio, para conhecer o fluxo de trabalho e o controle patrimonial do Judiciário catarinense. Para o chefe da Divisão de Patrimônio, Tiago Souza Garcia, a descentralização no controle dos bens por meio da Resolução GP n. 9/2013 foi o primeiro passo para colocar a “casa em ordem”. Com isso, o gerenciamento patrimonial se ramificou para um número maior de servidores.

“Apesar do avanço, os termos de responsabilidade encaminhados via malote em papel caracterizavam grande déficit de informações, mas a informatização no ano de 2014, com a emissão de relatórios e termos eletrônicos via sistema de patrimônio, possibilitou o saneamento dos processos físicos em 2017. Isso resultou no controle efetivo dos bens em suas lotações, graças à colaboração de todos os gestores, ao incentivo e atuação de nossa diretora Graziela (Cristina Zanon Meyer Juliani) e ao apoio da administração”, anotou o chefe da Divisão de Patrimônio.

A implantação do sistema integrado ERP (Enterprise Resource Planning), a partir de 2021, trouxe mais uma boa prática no processo de gestão. Com 100% dos inventários encerrados – foram mais de 6 mil registros concluídos em uma plataforma totalmente nova -, Tiago Garcia destacou que “todos os servidores estão conscientes da importância em manter o patrimônio do Judiciário em dia e reconhecem seu papel nesta construção”.

clica