Direito Global
blog

Praça Atahualpa homenageia último imperador inca

No Leblon, zona sul do Rio de Janeiro, a prefeitura deu o nome de Atahualpa ou Atahuallpa a uma das melhores praças da cidade. Atahualpa foi o décimo terceiro e último Sapa Inca (imperador inca) de Tahuantinsuyu, como era chamado o Império Inca. Foi governante de Quito por cinco anos antes de conquistar o Império Inca de seu irmão Huáscar. Depois de derrotar seu irmão, Atahualpa tornou-se o último Sapa Inca (imperador soberano) do Império Inca (Tawantinsuyu) antes da conquista espanhola.

Atahualpa herdou o Reino de Quito de seu pai, o Sapa Inca Huayna Capac em 1525. Antes que Huayna morresse, fez um testamento verbal onde dizia que pretendia dividir seu império em duas partes. Atahualpa se tornaria rei na seção norte do Império Inca e seu meio-irmão mais Huáscar, receberia a seção do sul como Sapa Inca. Huayna morreu de uma doença infeciosa (possivelmente varíola). Atahualpa governou Quito pacificamente por 5 anos, até que seu irmão Huáscar tentou conquistar o Reino de Quito anexando a região dos Cañaris.

Atahualpa nasceu em Cusco ou Quito – nao se sabe ao certo – no dia 20 de março de 1502, vindo a falecer em Cajamarca no dia 26 de julho de 1533, aos 31 anos. Cajamarca é uma cidade do Peru, capital do departamento de Cajamarca e da província de Cajamarca. Situa-se às margens do rio Cajamarca e é o centro de uma região agrária cujos produtos são produzidos em indústrias manufatureiras. Atahualpa foi acusado de ter cometido vários crimes: heresia, poligamia, e também por ter mandado matar seu irmão Huascar e ordenado mais uma dezena de outros crimes. Atahualpa foi julgado culpado de todas as doze acusações e condenado a ser queimado vivo na fogueira. No momento da execução, Atahualpa aceitou a proposta do padre Valverde de diminuição da pena e aceitou ser batizado para em seguida ser morto por enforcamento.

clica