Direito Global
blog

Assassinos de ex-jogador do Timão

A 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) negou o recurso interposto pelos réus condenados pela morte do atleta do Sport Clube Corinthians, William Morais, que estava emprestado ao time do América Mineiro/MG. Foi negado também o recurso do Ministério Público, que pedia a majoração das penas. Dessa forma, ficou mantida a condenação dos réus H.S.L.S. e D.C.F.S. a 20 anos e seis meses cada um e do réu D.C.B.M. a 21 anos e seis meses, em regime inicial fechado, pelo crime de latrocínio.

O crime ocorreu no dia 6 de fevereiro de 2011, por volta de 1h15, na avenida Professor Clóvis Salgado, em Belo Horizonte. Os réus, portando arma, anunciaram o assalto e tentaram roubar uma corrente de William Morais. Assustado, ele tentou fugir e recebeu um tiro nas costas, o que provocou sua morte.

Os réus pediram a absolvição e, no caso da negativa, a desclassificação do crime de latrocínio para o de homicídio, pelo fato de o roubo não ter sido consumado. O relator do recurso, desembargador Herbert Carneiro, ressaltou que “não obstante os agentes não terem logrado êxito em subtrair bens da vítima, tal fato não descaracteriza o crime de latrocínio.”  “Inexistem, no presente caso, causas de aumento ou diminuição”, concluiu o relator, que confirmou integralmente as penas fixadas na sentença.

clica