Direito Global
blog

Pai Presente

Depois de mais de seis décadas, um servidor do Judiciário finalmente tem o prazer de ter o nome do pai no seu registro de nascimento. Trata-se do oficial de justiça Divino Sebastião Rodrigues, de 64 anos. Marcado pelas dores do passado em razão da ausência do pai e dos 24 anos que morou em um orfanato, ele vivenciou o capítulo feliz na sua vida através do Programa Pai Presente, executado pela Corregedoria-Geral da Justiça de Goiás (CGJGO).

Antes de se aposentar no ano passado, Divino Rodrigues, que atuou na 1ª Câmara do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) por 41 anos, procurou a gerente administrativa do programa, Maria Madalena Sousa, e pediu para que ela intermediasse o contato com o pai, com quem nunca teve convivência, visando um reconhecimento espontâneo. Ele conta que foi muito bem acolhido pelo projeto, que já conhecia de perto por ser servidor do TJGO, e que a ajuda de Madalena foi fundamental para que tudo acontecesse de forma natural e amigável. “Nunca quis entrar na Justiça para que meu pai me reconhecesse como filho. Não desejava magoá-lo. E o reconheci

clica