Direito Global
blog

Decisão política

O Corinthians tomou a decisão drástica de não jogar mais no período noturno e aos domingos. A posição, inclusive, já foi comunicada à Confederação Brasileira de Futebol (CBF), à Federação Paulista de Futebol (FPF) e à Rede Globo.

A decisão da diretoria alvinegra tem o intuito de evitar futuras ações trabalhistas por parte dos jogadores. Recentemente, dois jogadores ganharam ações na Justiça em que cobraram referentes a adicional noturno, domingo e feriados. Tratam-se de Maicon, contra o São Paulo, e Paulo André, contra o próprio Corinthians.

O comentário a seguir e do ex-presidente do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) e um dos mais conceituados advogados trabalhistas do país, Henrique Maues:

“A decisão do Corinthias é política, contra decisão do TRT de SP e por isso tem pernas curtas. Não jogar no período noturno e aos domingos pode levar o Clube a ser, p.e., rebaixado por perder por WO os seus jogos designados para esses horários e dias. É bom lembrar que a decisão da Justiça do Trabalho não proíbe os jogos aos domingos e feriados e tampouco no horário noturno. Por sua vez, referida decisão não obriga as federações esportivas, que sequer integraram a reclamação.

Se a decisão da Justiça do Trabalho está correta já são outros quinhentos. A Lei Geral dos Esportes não assegura expressamente esse o direito ao adicional noturno ao jogador de futebol..Assegura apenas a carga horária semanal de 44h. E jogos aos Domingos e feriados é uma tradição mundial. Futebol é o tipo de espetáculo que se exibe nesses dias. Nada justifica a condenação.

clica