Direito Global
blog

Museu Pelé tem disputa na justiça com artista plástico

O artista plástico Laércio Alves da Silva entrou na Justiça contra a prefeitura de Santos e o Museu Pelé a fim de reaver uma estátua do Rei do Futebol. Laércio disse à Justiça que a estátua de Pelé, feita em chapa de alumínio e com 1,73 m de altura, foi emprestada por ele em 2012 à prefeitura para uma exposição, mas que nunca foi devolvida. Estão expostos no museu Pelé 2.545 itens, entre fotografias, camisas, chuteiras e outros objetos ligados à trajetória e vida do craque. O acervo inclui uma moeda de 400 réis como as que ele ganhava quando trabalhava como engraxate, aos 10 anos, e uma réplica da Taça Jules Rimet.

Museu Pelé é um museu na cidade de Santos, dedicado à carreira do ex-jogador Edison Arantes do Nascimento, mais conhecido como Pelé. Foi inaugurado em 15 de junho de 2014, como parte dos eventos paralelos à Copa do Mundo FIFA de 2014. Sua construção chegou a ser contestada por conta dos altíssimos valores envolvidos nas obras. O governo estadual de São Paulo destinou R$ 2 milhões para que o museu ficasse pronto a tempo do ano da competição mundial. Ainda assim, o custo total do espaço chegou a R$ 40 milhões, sendo que parte dos recursos vieram da Lei Rouanet (Federal) e outra do ProAc (Estadual).

O museu ocupa dois edifícios no Largo Marquês de Monte Alegre, localizado no bairro do Valongo, um deles um casarão que estava em ruínas e foi recuperado para abrigar a instituição, sendo três blocos completos de atrações interativas. No total, são 4.134 m² de área. A construção do museu teve um papel importante para a cidade de Santos, especialmente para o Centro Histórico do município. Depois disso, a área entorno do local na região do Porto de Santos, antes conhecida como as ruínas do Valongo, foi recuperada, o que impulsionou os investimentos na região e o turismo local. Além de preservar a memória esportiva do Brasil, o museu garante a revitalização dos Casarões Valongo, um imóvel reconhecido por seu valor arquitetônico e histórico.

Em 9 de março de 2016, a prefeitura de Santos assinou um acordo em que municipaliza o Museu Pelé e assume a gestão do local. O jogador doou ao município o acervo avaliado em R$ 19 milhões. Além das 144 peças que já estavam no museu, entre troféus, uniformes e fotos, foram doados mais de 400 outros itens para ficarem de reserva e serem expostos em novas mostras.

São mais de 180 relíquias que relembram a vida daquele que foi um dos maiores ícones da modalidade. Além disso, o museu reúne o que há de mais antigo com a tecnologia. As atrações disponibilizadas contam com grandes painéis digitais interativos e uma novidade – que também se encontra parecida no Museu do Futebol – de um pênalti virtual, em que os visitantes podem simular uma cobrança de penalidade máxima e terem computada a velocidade em km/h do chute dado.

clica